De acordo com a Polícia, um jovem de 21 anos e um adolescente de 17 anos confessaram o envolvimento no crime.


A Polícia Civil de Alagoas prendeu um acusado e apreendeu um adolescente acusado de participar do assassinato do empresário Breno Palladino, encontrado morto a tiros, no dia 31 de março do mês passado, no interior de um veículo Amarok, num açude, na Zona rural do município de União dos Palmares (AL).

As investigações apontaram que Palladino foi morto devido a dívida na compra de uma arma no valor de R$ 15 mil. O mandante do crime ainda não foi identificado. De acordo com a Polícia, um jovem de 21 anos e um adolescente de 17 anos confessaram o envolvimento no crime e disse que atraíram Breno com a promessa de vender um fuzil M-16 ao empresário, que se deslocou de Maceió até União dos Palmares para buscar a arma.

 “Assim que a vítima parou o carro no local marcado para concretizar a negociação os autores colocaram Breno no banco de trás, onde o jovem ficou com uma pistola apontada para a cabeça de Breno, enquanto o adolescente dirigia o veículo, e rumaram para um local ermo, de difícil aceso, que era de conhecimento do menor”, disse o Regional de União dos Palmares.

“Depois que chegaram no barreiro, o rapaz de 21 anos deu dois tiros na nuca de Breno, que não teve como esboçar nenhuma reação. O autor já havia planejado tudo, pois após o crime eles pegaram o empresário e o colocaram no veículo e levaram até o açude com o objetivo de que o corpo e o carro submergissem, desaparecendo por completo, visando a dificultar mais ainda ser encontrado”, completou o delegado Edberg Oliveira.

A autoridade policial disse ainda que as investigações apontam para o fato de que o crime teria sido motivado por causa de uma dívida, por conta de uma outra arma que Breno Palladino não teria pago a um homem, ainda não identificado, no valor de R$ 15 mil, e este é quem teria dado a ordem para a execução da vítima.

Os dois presos, até o momento, foram localizados e detidos no acampamento sem-terra Irmã Dorothy, que fica próximo ao local onde a caminhonete com o corpo de Breno foi encontrada. Após a execução objetos pessoais e do veículo do empresário foram subtraídos pelos autores do bárbaro crime.

 Diante das investigações, o delegado informou que deverá indiciar os executores por homicídio qualificado, descartando a tese de latrocínio, como se havia pensado ser o motivo do crime no início do trabalho investigativo. “Apesar de considerarmos o caso já esclarecido vamos continuar com as investigações para saber se há mais alguém envolvido na morte de Breno Palladino e identificar o possível mandante”, concluiu o delegado Edberg Oliveira.