Sociedade estendeu faixas afirmando não ser operação. PC investiga o caso.  


Na tarde desta quinta-feira, 27, a sociedade civil de Canindé do São Francisco – SE, realizou uma passeata pelas principais ruas e clamou por justiça em frente ao Batalhão da Polícia Militar do município sergipano. O manifesto é em relação a ação da polícia que resultou na morte de Vitor da Silva Santos, 11 anos, mais conhecido como ‘Juninho’.

O garoto era conhecido na cidade por vender doces e cocadas e foi classificado como usuário de drogas e traficante pela mãe, que não criava o garoto desde pequeno. Uma tia era responsável pela guarda da vítima que não resistiu ao disparo que atingiu a região do tórax.

Durante a manifestação, os moradores ergueram faixas pedindo justiça e afirmando não ter sido uma operação e sim uma chacina – termo que pode ser comparado a uma execução.

A Polícia Militar diz que ouviu disparos no Bairro Olaria e quando se aproximou foi recebida a tiros, houve revide e na ocasião o garoto foi encontrado baleado em um matagal, ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil e a PM abriu sindicância para investigar a conduta dos policiais envolvidos na ação.