Segundo a assessoria de Comunicação o Grupo Técnico de Acompanhamento (GTA) se reúne hoje à noite, na Capitânia dos Portos, em Maceió, para avaliar a situação no litoral alagoano e traçar novas estratégias de ação.



Pouco mais de 533 toneladas de óleo já foram retiradas das praias em Alagoas. A informação foi passada nesta terça-feira, dia 22, pela equipe de comunicação do Instituto do Meio Ambiente que destacou ainda que o material recolhido foi, em sua maioria oriundo da praia de Japaratinga.

Segundo a assessoria de Comunicação o Grupo Técnico de Acompanhamento (GTA) se reúne hoje à noite, na Capitânia dos Portos, em Maceió, para avaliar a situação no litoral alagoano e traçar novas estratégias de ação.

Na praia de Barra de São Miguel segue o mutirão de limpeza com a participação da equipe mobilizada pelo setor de Educação Ambiental do IMA. Porém, o problema no local é a continuidade de pequenos fragmentos que têm aparecido em um trecho com mar mais aberto, destacou a assessoria.

Já em Maceió foram identificados fragmentos de óleo na praia de Ipioca. A prefeitura da capital enviou trabalhadores da equipe de limpeza para recolher o material.

Nas praias de Japaratinga e Maragogiprosseguem os trabalhos de limpeza com a participação de homens da Marinha, reeducandos, técnicos e voluntários do IMA, trabalhadores contratados pela prefeitura com voluntários e moradores da região. Uma equipe do ICMBio faz o trabalho de análise da situação dos estuários.

A Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (Seris), encaminhou 49 custodiados do Núcleo Ressocializador da Capital (NRC), para se juntar a 46 reeducandos dos regimes aberto e semiaberto que já participam dos mutirões de limpeza em Japaratinga

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) fez a distribuição de pás, peneiras, ciscador, carros de mão, sacos plásticos, luvas para as equipes que trabalham na retirada dos dejetos nas praias de Japaratinga, Barra de São Miguel, Roteiro e Coruripe.

O GTA é formado por representantes dos órgãos estaduais – Instituto do Meio Ambiente (IMA) e Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh); federais – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio); e Marinha – Capitania dos Portos. Contando, ainda, com o apoio das secretarias de Meio Ambiente dos municípios atingidos, reforço da Defesa Social do Estado e apoio da Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (Seris).