Prefeitura alagoana exonera mais de 700 servidores para ‘enxugar’ folha salarial


A gestão informou que Arapiraca tem mais de 10 mil servidores, entre ativos e inativos, na lista de pagamento. 


A Prefeitura de Arapiraca exonerou centenas de servidores de seus cargos após um decreto assinado pelo gestor do município, Rogério Teófilo (PSDB), nessa quarta-feira, 27. Aproximadamente 700 trabalhadores ficaram sem empregos e, segundo a prefeitura, a decisão visou ao enxugamento da folha salarial “para manter o município funcionando”.

A gestão informou que Arapiraca tem mais de 10 mil servidores, entre ativos e inativos, na lista de pagamento. A redução seria de 5% do total, porque mais de 200 exonerados ontem devem voltar aos trabalhos considerados essenciais ainda na próxima semana.

Dentre as situações que podem ter causado a decisão, a prefeitura citou a queda na arrecadação do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU), pois a taxa de inadimplência teria atingido a casa dos 90%. A gestão também alegou que ofereceu descontos no Programa de Recuperação Fiscal, mas os contribuintes não colaboraram.

“Os dados nem sempre são frios. E fazer cortes na própria carne é doloroso para qualquer gestor. Há sim uma preocupação com as famílias, e também há preocupação com a manutenção dos serviços para a população em geral. Colaboradores (servidores públicos) precisam receber, são as molas mestras de qualquer serviço, fornecedores também necessitam pagar contas e pagar os colaboradores que os mantêm funcionando.

Apertar de todos os lados, mas a preocupação é tamanha que, para os serviços públicos serem mantidos com os atendimentos a população e as obras distribuídas no município, mais de 200 retornam aos trabalhos essenciais ainda na próxima semana. Número que mostra que Arapiraca não vai parar, porque Arapiraca é a Capital do Desenvolvimento.

O prefeito Rogério Teófilo bancou alternativas como o Projeto de Lei Nº 33/2019, enviado em Regime de Urgência Especial, no dia 07 de novembro, para ser votado na Câmara de Vereadores de Arapiraca. Entre falta de quórum e de sensibilidade de alguns parlamentares mirins, o projeto que dispõe sobre o Fundo Previdenciário Municipal com o objetivo de garantir o pagamento de aposentados e pensionistas de Arapiraca, ainda não foi a votação.

Os últimos anos não têm sido fáceis para os municípios brasileiros. Os cofres estão cada vez mais vazios. São constantes quedas nas arrecadações.

80% dos municípios brasileiros estão com problemas financeiros. Ou seja, a cada 10 municípios, 08 estão a beira do abismo (Fonte: Índice Firjan de Gestão Fiscal)”, diz um trecho da nota.

Atrasos de salário

Um servidor, que pediu para não ser identificado, contou para o TNH1 nesta quinta-feira, 28, que há atraso de salário de ao menos três meses. "Quem recebe até R$ 3 mil já recebeu o mês de setembro, mas quem recebe acima disso, ainda não", disse também ao citar que os meses de outubro e novembro não foram acertados com nenhum funcionário.

A prefeitura não se pronunciou sobre o assunto.