Educação e Modernização no Sertão do Nordeste é tema de tese de Doutorado defendida pelo Professor Edvaldo Nascimento


O material traz uma importante contribuição para a história da educação do sertão do Nordeste do Brasil.


O processo de escolarização de populações sertanejas realizado pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) e a vinculação entre o projeto de modernização instituído pela companhia com a educação, foi a pesquisa de doutoramento do professor Edvaldo Francisco do Nascimento, realizado na Universidade Federal de Pernambuco – UFPE.

A pesquisa, que durou quatro anos, tem como título Modernização e Educação Escolar no Nordeste Brasileiro: as escolas da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (1949- 2000), foi apresentada no dia 23 de setembro na UFPE. O material traz uma importante contribuição para a história da educação do sertão do Nordeste do Brasil, segundo o professor Justino Pereira de Magalhães, da Universidade de Lisboa e coorientador do doutoramento.

O estudo é uma análise sobre a institucionalização de um complexo educacional escolar no acampamento da Chesf em Forquilha, atual município de Paulo Afonso. De acordo Edvaldo, essas escolas foram instituidoras de hábitos e ritos, o que resultou no modo de vida moderno desta população. O professor reforça que o que foi definitivo no projeto da Chesf para o sertão, foi a instituição de uma cultura escolar modificadora do modo de vida. “A população dos diversos sertões do Nordeste que chegou a Forquilha/Paulo Afonso e conseguiu se inserir no projeto da Chesf foi por ela incluída no projeto de escolarização”, ressalta.
Após estudar o projeto de escolarização implementado por Delmiro Gouveia no Sertão de Alagoas, durante o seu mestrado, Edvaldo esclarece que desejava continuar estudando processos educativos na região do sertão do São Francisco. Ele enfatiza que o tema foi escolhido pela dimensão do projeto realizado pela companhia, buscando entender o porquê da implantação de um plano educacional tão grandioso, tendo em vista que este não era o objetivo da empresa.

 “Obviamente é um projeto grandioso. Imagine você ter dez escolas em um único acampamento que, de acordo com a documentação, chegou a ter 8 mil alunos por ano, em determinado momento, no curso desse projeto. Imagine que eram escolas que receberam do Conselho de Educação da Bahia uma nota de referência pela excelência educacional que representava. Tudo isso me motivava a compreender a instituição desse projeto. O que levou a Chesf a instituir esse projeto educativo? Porque não era essa a missão dela, a missão dela era construir usinas, gerar e transmitir energia. Por que instituir um complexo educacional, que ofertava da educação infantil ao ensino técnico profissionalizante? Tudo isso eram questionamentos que me levaram a defender essa tese”.

O professor argumenta que o tema foi escolhido também pela sua memória afetiva, uma vez que as atividades culturais e esportivas desenvolvidas nas unidades escolares lhe chamaram a atenção. “Sempre guardei em minhas memórias os grandes eventos esportivos e culturais nas escolas da Chesf. Eu era morador de Paulo Afonso na área fora da Chesf, mas frequentava o acampamento por causa dos meus familiares. Aquela memória de infância, em ver o papa fila recolhendo os alunos nas portas de casa, ou quando eu ia a alguma atividade que os meus primos participavam, sempre me impressionei com esse projeto educativo, e foi isso que levou a defender essa tese”, revela.

Na pesquisa, ele detalha as unidades escolares destacando ainda o corpo docente, recrutados nas mais diversas regiões do Brasil. “Eram professores egressos das Universidades Públicas Federais que constituíram um núcleo cultural elevado no acampamento Chesf”, enfatiza. Para coletar as informações foram realizadas entrevistas com ex-professores, ex-alunos, ex-dirigentes da Chesf e das escolas, reunindo uma farta documentação iconográfica, além dos documentos escritos.

A tese foi aprovada pela banca examinadora com indicação de publicação, o que significa que foi reconhecida como excelente trabalho de pesquisa. Edvaldo espera contribuir para a melhor compreensão e entendimento sobre os caminhos na história da educação na região do sertão nordestino e, consequentemente, ajudar também a entender melhor aspectos da educação nos dias atuais. “Um dos meus objetivos com essa pesquisa é incentivar para que outros estudantes, outros pesquisadores, possam desenvolver outras pesquisas sobre esse projeto educativo, sobre aspectos que não foram abordados por mim nessa tese, até porque não damos conta de responder todas as questões, de um projeto da dimensão que foi instituído pela Chesf, na perspectiva educacional em Paulo Afonso. Espero que sirva de incentivo para que outras pessoas realizem novas pesquisas”, ressalta. A intenção é que posteriormente seja publicado um livro com o estudo.

A banca examinadora do Doutorado foi composta pelo professor doutor Edilson Fernandes de Souza, seu orientador (UFPE); o professor doutor Márcio Ananias Ferreira Vilela (UFPE); professora doutora Josefa Eliana Souza (UFS). Professor José Vieira da Cruz (UFAL) e o professor Justino Pereira de Magalhães, da Universidade de Lisboa.

Edvaldo Nascimento é natural de Paulo Afonso e reside há décadas em Delmiro Gouveia, onde exerce o magistério e ocupou o cargo de vereador por três mandatos. “Quero dedicar este estudo ao povo sertanejo, especialmente os do sertão do São Francisco; assim como aos ex-professores e ex-alunos e das escolas da Chesf”, finalizou.