Prefeito de cidade alagoana tem o mandato cassado pela Câmara de Vereadores


Em sessão especial realizada nesta quarta-feira, dia 17, na Câmara Municipal de Rio Largo, os vereadores decidiram pela cassação do prefeito Gilberto Gonçalves (PP), acusado de improbidade administrativa.


O prefeito Gilberto Gonçalves do Partido do Progressista (PP) teve o seu mandato cassado nesta terça-feira, 17, durante uma sessão especial realizada na Câmara de Vereadores do município. Gonçalves é acusado de improbidade administrativa.

O agora ex-prefeito é acusado de infringir a Lei Orgânica do Município ao nomear os filhos para ocupar secretarias do governo, além disso, o prefeito é acusado de utilizar veículos da prefeitura para transporte particular.

De acordo com a denúncia, a filha de Gilberto Gonçalves, Gabriela Cristina Gonçalves da Silva, 18 anos, foi nomeada para ocupar a Secretaria de Relações Institucionais (Serin) do município. No entanto, a jovem tem menos de 21 anos, o que contraria a Lei Orgânica municipal.

Ainda segundo a acusação, Gabriela, o filho do prefeito, Geoberto Gonçalves da Silva Cordeiro, e um sócio identificado como “Claudio”, assumiram cargos públicos sendo sócios em empresas, o que também não é admitido pela Lei.

As irregularidades atribuídas ao prefeito foram avaliadas pela comissão especial durante um mês e meio, até a sessão desta quarta-feira. Gilberto Gonçalves tinha duas horas para apresentar sua defesa, mas não apareceu e enviou um advogado. Mais cedo, ele tentou barrar a votação com uma ação na Justiça, mas teve o pedido negado.

A população da cidade se concentrou na frente da Câmara Municipal, no Centro do município e foi necessário o envio de reforço da Polícia Militar.

Após horas de sessão, Câmara decidiu pela cassação do prefeito. Ele foi cassado pelas três denúncias e ainda pode recorrer da decisão. No entanto, Gilberto Gonçalves deixa o cargo de forma imediata e a vice-prefeita, que também é sua esposa , Cristina Gonçalves, assumirá a prefeitura em seu lugar.