Dois alagoanos são presos acusados de integrarem grupo de extermínio no Rio Grande do Norte


Marcelo Silva de Menezes, 33 anos e Noé Lima da Silva, 44 anos, foram presos nesta terça-feira, 9, após uma denúncia anônima.

Reprodução - Plantão Policial site de RN

Dois alagoanos naturais de Inhapi, cidade localizada no Sertão de Alagoas, foram presos nesta terça-feira, 9, acusados de integrarem um grupo de extermínio no Estado do Rio Grande do Norte. Marcelo Silva de Menezes, 33 anos e Noé Lima da Silva, 44 anos foram presos no município de Santa Maria/RN. Com eles a polícia apreendeu dois revólveres e um colete balístico, além de três motocicletas. Uma das armas apreendidas, pertence à Polícia Militar do Rio Grande do Norte.

Segundo a Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DIECOR), a dupla alagoana é investigada por diversos crimes praticados no Estado do RN. Eles estariam envolvidos com “milícia privada armada”.

As prisões aconteceram depois que a polícia recebeu uma denúncia, que os dois estariam escondidos na cidade de Santa Maria/RN, planejando nova ação criminosa naquele município. Diante das informações, os policiais foram até o local indicado, onde efetuaram a prisão dos suspeitos.

Segundo os policiais, Marcelo Silva de Menezes é investigado em cerca de dez inquéritos policiais, referentes a crimes de homicídios ocorridos no município de Ceará-Mirim. Contra ele, havia em aberto três mandados de prisão expedidos pela Justiça. Marcelo Silva e Noe Lima foram autuados pelo crime de posse ilegal de arma de fogo, receptação e constituição de milícia privada.