Delmiro Gouveia: Polícia Civil elucida crime de Manoel Messias e irá indiciar os autores


Para delegado não há dúvidas que crime foi praticado por Franklin da Cesta Básica e um funcionário seu identificado como ‘Didi’. Acusados negam a participação.

Manoel Messias - reprodução

Após uma rápida investigação que durou menos de três dias, o delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti, confirmou em entrevista nesta quinta-feira, 25, que já está elucidado o crime que vitimou Manoel Messias dos Santos, 32 anos, ocorrido no último sábado, 20, na Rua Martins Cavalcante, no Bairro Pedra Velha em Delmiro Gouveia, no Sertão de Alagoas.

Os autores foram identificados como Franklin da Cesta Básica e seu funcionário ‘Didi’. O motivo teria sido uma dívida que a ex-mulher de Manoel Messias, tinha com o vendedor. Os autores negam a participação.

Em uma entrevista feita ao vivo no Instagram do @italotimoteo.com.br, o delegado regional contou como a polícia chegou aos autores. “Desde o dia do crime que recebi informações sobre a possível participação desses dois homens, eles chegaram a serem comunicados, mas não compareceram à delegacia. Por coincidência, hoje, 25, ouvimos uma testemunha ocular que disse ter visto Franklin e seu funcionário adentrar a casa por volta das 6h da manhã e depois de 10 minutos sair do local, como se nada tivesse acontecido. Essa mesma testemunha relatou nos altos do processo, que Franklin voltou ao local e disse que havia um corpo dentro do imóvel. Em seguida saiu, como se nada tivesse acontecido.” Destacou.

Ainda segundo o delegado, o crime pode não ter sido premeditado e sim por emoção. “O homem age por emoção, de repente ele foi até a residência para cobrar a dívida, como Manoel Messias estava embriagado, pode ter dito alguma palavra que provocou ira e ele acabou o matando com uma faca da própria residência da vitima.” Pontuou o delegado.

Para finalizar o delegado disse que o acusado compareceu à Delegacia Regional de Polícia (1ª-DRP), acompanhado de um advogado e que prestou depoimento e chegou a entrar em contradições. “O depoimento dele foi totalmente contraditório, ele disse que viu o corpo e saiu do local, depois voltou e avisou a algumas pessoas que moravam próximo da vítima.” Destacou.

Em um áudio que circulou nas redes sociais, Franklin disse que jamais iria sujar as suas mãos e matar uma pessoa por uma simples cesta básica, ela ainda chegou a dizer que ia provar a sua inocência.

O inquérito será concluído e encaminhado à justiça, onde o delegado deverá indiciar os suspeitos pelo crime de homicídio qualificado. 




close
Banner iklan disini