Água Branca, Canapi, Piranhas e mais 2 cidades do sertão não registraram crimes contra mulheres em 2019


Delmiro Gouveia registrou dois crimes de feminicídio, porém os autores foram identificados.

Imagem ilustrativa / google

Os municípios de Água Branca, Canapi, Piranhas, Pariconha e Olho D’água do Casado são os únicos do Sertão de Alagoas, que não registraram nenhum caso de Crime Violento Letal Intencional (CVLI) contra mulheres. Além do Sertão de Alagoas outras regiões não registram, o que representa cerca de 75% dos municípios alagoanos.

Cidade referência no Sertão de Alagoas, Delmiro Gouveia registrou em 2019, dois crimes de feminicídio. O primeiro aconteceu no dia 14 de março, a vítima foi Rafaela dos Santos Tomaz, conhecida como ‘Mortadela’. Ela foi morta com um tiro na cabeça. Porém em menos de 48h, a Polícia Civil através da equipe do delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti identificou o suspeito.

O segundo caso aconteceu no último dia 13. Ana Jaqueline Vicente dos Santos, conhecida como ‘Kely’, foi assassinada com requintes de crueldade por José Messias Gomes de Oliveira, conhecido como ‘Chocolate’, ele foi preso horas depois do crime.

Em abril, o secretário da Segurança Pública, Lima Júnior, determinou que fosse criada uma força-tarefa para agilizar a apuração de crimes de feminicídio, além de intensificar as ações de prevenção de mortes de mulheres em todo o estado. Dentre as estratégias adotadas, a Polícia Militar dá maior suporte à Polícia Civil nas investigações de crimes com características de feminicídio e de outros atos violentos contra mulheres.

Para o secretário Lima Júnior, os números comprovam que a integração policial para combater a violência contra a mulher tem dado certo. Ele também lembra que as forças de segurança seguem empenhadas na elucidação dos crimes que ocorreram e também nas prisões dos autores.

“É importante destacar que, além das ações das Polícias Civil e Militar, a Patrulha Maria da Penha ampliou seus serviços e passou a atuar 24 horas. Isso também fortalece a presença policial junto às mulheres que já foram vítimas de violência. Estamos prendendo aqueles que cometeram homicídios de mulheres  e deixando claro que em Alagoas não há impunidade”, disse.

De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira, este resultado é fruto do trabalho integrado das forças de Segurança Pública de Alagoas, onde a Polícia Militar atua de forma ostensiva com o enfoque da prevenção e a Polícia Civil tem intensificado o trabalho de esclarecimento de crimes com a conclusão de inquéritos policiais – dentro da sua competência constitucional de caráter investigativo, combatendo a impunidade.

Ainda segundo a Polícia Civil, o trabalho investigativo tem obtido resultados bastante significativos. Recentemente, foi divulgado que nos outros 25 municípios em que ocorrem homicídios de mulheres em Alagoas, mais de 76% dos assassinatos foram esclarecidos, um índice expressivo em âmbito nacional.

“Todos os integrantes da Segurança Pública de Alagoas estão de parabéns pelo engajamento, coragem e senso profissional que têm demonstrado no combate à criminalidade, fazendo com que a violência caia diariamente. Destacamos a forma de gestão adotada pela Secretaria de Segurança Pública, na pessoa do secretário Lima Júnior, e o apoio do governador Renan Filho em propiciar condições para que as forças de segurança do Estado possam atuar melhor”, concluiu o delegado-geral Paulo Cerqueira.