“Providências estão sendo adotadas para minimizar os impactos no Rio São Francisco”, diz Chesf

Nota diz que a diretoria está em contato direto com as entidades competentes de Minas Gerais e do Governo Federal.


A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) publicou neste domingo (27), uma nota onde afirma que vem monitorando, com toda atenção, a propagação dos rejeitos da barragem de Brumadinho.

“A Diretoria está em contato direto com as entidades competentes de Minas Gerais e do Governo Federal, inclusive com a Agência Nacional de Águas (ANA). As providências estão sendo adotadas para minimizar os impactos no rio São Francisco.”, diz o pequeno texto publicado no site institucional da Companhia.

Na tarde de hoje (28), pesquisadores do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e da Agência Nacional de Águas (ANA) divulgaram o primeiro boletim de monitoramento especial do órgão sobre o Rio Paraopeba, um dos principais afluentes do Velho Chico.

De acordo com os órgãos, os rejeitos de minério de ferro da barragem da Vale que rompeu em Brumadinho (MG) chegarão à hidrelétrica de Três Marias, no Rio São Francisco, a partir do dia 15 de fevereiro.

Controlada pela Cemig (companhia elétrica de Minas Gerais), a Três Marias é a primeira instalada ao longo do São Francisco. A onda de lama percorre o local a uma velocidade de 1 km por hora, conforme o governo.

Segundo o site do O Globo, os cálculos feitos pelos técnicos do governo apontam que a lama chegará à usina entre os dias 15 e 20 do próximo mês.

No domingo, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, disse que o governo trabalhava com uma probabilidade baixa de que a onda de lama contaminar o São Francisco.


O número de mortos em decorrência do rompimento da barragem subiu para 60 nesta segunda.