Não é grave o estado de saúde da mulher que ficou com uma faca cravada nas costas após ataques do marido

Sinilda Silva Pereira se recupera bem e não corre riscos. Polícia Civil investiga paradeiro do autor identificado como Sandro Edson Praxedes de Freitas.


A mulher que ficou com uma faca cravada nas costas, após sofrer ataques do seu companheiro, estar fora de perigo. A informação foi divulgada pela Assessoria de Comunicação da Unidade de Emergência do Agreste (UEA) Daniel Houly em Arapiraca. Sinilda Silva Pereira, sofreu uma tentativa de feminicídio, na última quarta-feira, 16, no Distrito de Piau, município de Piranhas, depois que o seu marido desconfiou que ela estava lhe traindo.

Segundo a Assessoria de Comunicação do Hospital, Sinilda passou por cirurgia para retirar a faca peixeira que ficou cravada em seu ombro. De acordo com o Boletim Médico, divulgado neste sábado, 19, ela está internada e se recupera bem.

O caso

Na última quarta-feira, 16, Sandro Edson Praxedes de Freitas, tentou matar a sua companheira, depois de suspeitar que ela estava lhe traindo, vizinhos ouviram os gritos de desesperos e pularam o muro para ajudar a mulher. Sandro Praxedes, ainda chegou a ser imobilizado por um homem que luta artes-marciais, mas como a mulher estava perdendo muito sangue, o homem decidiu soltar o agressor para ajudar no socorro à vítima.

Investigação

Horas depois do fato, o delegado Daniel Mayer e sua equipe esteve no local e apurou que Sandro Edson Praxedes já era reincidente, em 2007 ele tentou matar a sua ex-companheira utilizando uma faca na região de Maceió. Ele chegou a ser preso.

Moradores que presenciaram o caso e serão testemunhas do inquérito relataram aos policiais que após o ataque, o homem saiu andando tranquilamente, as testemunhas também relataram que o acusado estava com problemas de depressão.

A polícia realizou buscas, mas ele não foi encontrado. Se alguém tiver informações que possam localizar o paradeiro do suspeito, denuncie através do Disque Denúncia (181), o anonimato será garantido.