Últimas Notícias

Justiça concede liberdade a mulher que atirou de forma acidental na cabeça de marido em Delmiro Gouveia

Decisão foi tomada na audiência de custódia, juíza plantonista entendeu a posição dos advogados Breno Camurça e Paulo Oliveira que exaltaram a legitima defesa.


A mulher identificada como Maria Cristina, mais conhecida como ‘Maria Coco’, foi liberada nesta segunda-feira, 21, durante audiência de custódia. Ela é acusada de atirar de forma acidental no marido identificado como Antoniel Ricardo da Silva, durante uma confusão que aconteceu na tarde do último domingo, 20, no Conjunto Habitacional 369 Casas, no Bairro Caraibeirinhas em Delmiro Gouveia, no Sertão de Alagoas.

Segundo os advogados Breno Camurça e Paulo Oliveira que fizeram a defesa da acusada. Maria Cristina agiu em legitima defesa. “Durante a audiência de custódia apresentamos a juíza acatou os argumentos da defesa e determinou que a acusada respondesse em liberdade.” Explicou.

Os advogados ainda explicaram que a mulher irá responder em liberdade, mas terá que cumprir algumas medidas cautelares, determinadas pela justiça.

O caso:

Uma discussão de marido e mulher terminou com um homem baleado na cabeça por um disparo de revólver calibre 22, na tarde deste domingo, 20, no Conjunto Habitacional 369 Casas, em Delmiro Gouveia, no Sertão de Alagoas. A vítima foi identificada como Antoniel Ricardo da Silva.

Em entrevista exclusiva ao portal italotimoteo.com.br, Maria Coco, disse que estava se preparando para ir à igreja, quando o seu companheiro iniciou a discutir e a lhe denegrir com diversas palavras. “Eu joguei um copo com água nele e de repente ele apontou uma arma para mim, eu tentei tomar da mão dele, quando ele se abaixou e do nada a arma disparou e o atingiu na região da cabeça. Eu gritei por socorro e em seguida levei para o Hospital.” Disse.

Antoniel recebeu os primeiros atendimentos ainda no Hospital Antenor Serpa, depois disso ele foi transferido para Arapiraca, por uma Unidade de Suporte Avançado (USA), em estado grave. Segundo o boletim médico, o tiro tinha perfurado o crânio e ele corria risco de morte.

Uma equipe do Pelotão de Operações Especiais (PELOPES), foi acionada pelo Hospital, depois de contar o que aconteceu aos militares, Maria Coco foi até a residência e apreendeu o revólver calibre 22 e outras duas armas de fogos, sendo duas espingardas.

Maria Coco foi conduzida para a Delegacia Regional de Polícia (1ª-DRP) onde foi autuada em flagrante por tentativa de homicídio.


Sem comentários