Perícia comprova: arma utilizada na morte de Tony Pretinho não era de Baixinho Boiadeiro, diz advogada


Segundo ela, a perícia comprovou que o tiro que vitimou Tony Pretinho não saiu da arma de Baixinho, uma 45mm. Já a arma usada no assassinato do vereador foi uma de calibre 9mm.


Após quase um ano do assassinato do vereador do município de Batalha, Tony Carlos Silva de Medeiros, também conhecido como Tony Pretinho, a advogada Mabylla Loriato, da família de José Márcio Cavalcante, o “Baixinho Boiadeiro”, contou à reportagem do Cada Minuto, nesta quarta-feira (14), que o resultado da perícia de balística "inocenta" seu cliente.

Segundo ela, a perícia comprovou que o tiro que vitimou Tony Pretinho não saiu da arma de Baixinho, uma 45mm. Já a arma usada no assassinato do vereador foi uma de calibre 9mm.

“Nós estamos confiantes que pelo menos essa acusação com relação a questão do Tony vai ser revertida porque nós estamos comprovando que ele não tem nada a ver com aquela pistola 9mm”, afirmou Mabylla. A defesa ainda acrescentou que irá solicitar a revogação do pedido de prisão de Baixinho Boiadeiro ao juiz responsável pelo caso.

Questionada sobre o sentimento da família do Baixinho Boiadeiro com o laudo da perícia de balística, Mabylla informou que hoje a felicidade é muito grande. “Nós requeremos três vezes à juíza, nós tivemos que recorrer aos tribunais. Tivemos uma série de situações até conseguirmos a autorização para que a perícia fosse realizada. Tudo era negado. Então, esta foi a primeira conquista da defesa. A gente tem uma expectativa muito grande porque agora, como nós conseguimos provar que ele [Baixinho] não tem vínculo com a 9mm, agora eles [a Justiça] começam a ver as outras questões que estão sendo levantadas pela defesa”, comentou a advogada.

“Faz toda a diferença para nós, que é onde a história começou a mudar o rumo que estava tomando. Então, por isso tornou-se tão significativo”, finalizou.

O caso

Em fevereiro deste ano, a justiça decretou que  José Márcio Cavalcante, conhecido como “Baixinho Boiadeiro”, apontado pela polícia alagoana como autor do assassinato do vereador Tony Carlos Silva de Medeiros, o Tony Pretinho, ocorrido em 15 de dezembro de 2017, se encontrava foragido.

De acordo com a polícia, as motivações da morte seriam o fato de o suspeito achar que Tony Pretinho teria ligação com a morte de seu pai, o vereador Adelmo Rodrigues de Melo, o Neguinho Boiadeiro.

Os acusados de efetuar mais de 15 disparos utilizaram uma arma de fogo de 9 mm e uma de calibre 12mm. O vereador foi alvejado com disparos de arma de fogo em frente à casa onde morava, no Centro da cidade.

Tony Pretinho também trabalhava como agente penitenciário, no Presídio do Agreste, em Girau do Ponciano, e era compadre de Baixinho Boiadeiro.