Cerca de 20 médicos cubanos deixarão de atender nas cidades do Alto Sertão AL


Das cidades do alto sertão, apenas Delmiro Gouveia não possui médico cubano, nas demais os números chegam a 5 profissionais do país caribenho.


Com o fim da parceria entre o Brasil e Cuba, 8.332 médicos cubanos deixarão o país até o dia 25 de dezembro deste ano. Desse número aproximadamente 20 atendem nas cidades que compõe o Alto Sertão de Alagoas.

Atualmente, apenas Delmiro Gouveia não tem médicos cubanos, os demais municípios. Água Branca, Canapi, Inhapi, Mata Grande, Olho D’água do Casado e Piranhas possuem profissionais do país caribenho.

Os municípios de Água Branca, Canapi, Inhapi e Olho D’água do Casado possuem cada uma, dois profissionais. Pariconha, Mata Grande e Piranhas, três, quatro e cinco profissionais atendem nesses demais municípios, respectivamente.

A reportagem conversou com alguns secretários da região que informaram que toda uma movimentação está sendo planejada para que o Ministério da Saúde absolva essa situação e possa solucionar esse problema que será enfrentado a partir de janeiro de 2019.

"Condicionamos a continuidade do programa Mais Médicos à aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou", afirmou Bolsonaro, por meio de sua conta no Twitter, após a decisão anunciada pelo governo cubano.

Já o governo de Cuba diz, em nota, que as ameaças de alterações no termo de cooperação firmado com a Opas são “inaceitáveis” e que o povo brasileiro saberá a quem responsabilizar pelo fim do convênio.